Espero que no final de tudo, não seja apenas um sonho... A vida é assim, tem sempre o lado bom e o ruim, mas o lado que eu escolho para falar, me orgulhar, é o bom porque as coisas ruins, deixei para trás, preferi esquecer. Só gosto de lembrar das boas lembranças. Por isso escrevo, porque escrever me faz colocar para fora tudo o que estou sentindo e isso é muito bom, é muito melhor do que guardar seus sentimentos em uma caixinha e deixar de dar a sua opinião com medo. Não precisa de medo, cada um é o que pensa e o que faz, uns preferem esconder, eu prefiro mostrar quem eu sou! <a href="http://www.youtube.com/watch?v=ennj376z5t4?hl=en&autoplay=1"><img src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" alt="Play" style="border:0px;" /></a>
 
 
 

Use Your Love
by: Katy Perry
from: Radioplay Pop Express 748P

burnthisfeeling:

- Quero te ver.

- Vem então! Você sempre diz que vai vir, mas nunca aparece. – Estavam no telefone.

- Abre a porta. – Ele disse e a garota riu. Foi até a porta, estava somente de calcinha e uma camisa de seu namorado. Abriu a porta. Ele a olhou de cima a baixo. – Seria muito melhor se a camisa fosse minha. – Disse e mordeu os lábios.

- Eu gosto do teu cheiro! – Ela o puxou pela camisa para dentro do apartamento e o fez encostar-se à porta assim que fechou. Beijou-lhe o pescoço, mordeu a pontinha da orelha e sorriu enquanto arranhava a lateral do corpo dele tirando a camisa.

- Continua a mesma, né? – Sorriu de lado olhando-a e a puxou para mais perto, ficando com as bocas coladas. A garota o empurrou e se afastou, virou de costas tirando a camisa de seu namorado e colocando a dele enquanto ia andando até a cozinha. – Whisky, por favor.

- Com pouco gelo. – Ela olhou para trás sorrindo, pegou a garrafa e colocou no copo com duas pedras de gelo. Ficou encostada na parede observando-o sentado na cadeira. Estava do jeito que gostava: barba mal feita, cabelo bagunçado, tinha o rosto um pouco mais maduro. Tinham se passado alguns anos desde a ultima vez que tinham se visto, ele estava agora com mais ou menos 30 anos e ela com 21. Sempre gostei de homens mais velhos, pensou e tomou um gole do whisky dele. Foi andando até o sofá e sentou no colo do garoto, passou uma das mãos por trás do pescoço dele e entregou o copo.

Ele bebeu tudo de uma vez só e sorriu para ela. Ela passava a mão alisando o peito dele e arranhando de levinho. Olhou pela primeira vez nos olhos castanhos da garota. Ela continuava a mesma coisa, os cabelos vermelhos pintados misturado com castanho, o olhar malicioso e o sorriso sedutor de uma garotinha que sabe que vai conseguir o que quer.

- Faz muito tempo.

- Porque hoje?

- Sei que ele não tá na cidade. Sei que ele vai demorar a voltar. Sei que você me quer do mesmo jeito que eu te quero e eu sei que… – Mas ela não o deixou terminar de falar, beijou-o com bastante urgência e vontade. Enquanto acontecia o beijo, ela sentou direito no colo dele, deixando uma perna de cada lado de seu corpo, o pressionava contra o sofá enquanto sentia as mãos dele percorrendo seu corpo. Apertava a lateral do corpo da garota e arranhava suas costas também. A menina dava mordidas no lábio dele com um pouco de força entre o beijo.

Separou a boca dele por um instante e começou a descer beijando-lhe o pescoço e mordendo enquanto apertava seus braços com força. O garoto se livrava da camisa dele que ela usava e então beijava o ombro da menina e ia descendo até os seios dela. Subiu uma das mãos e apertou um dos seios dela com força enquanto ficava mordendo o outro, começou a chupar fazendo-a gemer baixinho.

Ela desceu as mãos pelo peito e pela barriga dele até a calça, abriu e colocou a mão por dentro da calça e da cueca dele, começou a acaricia-lo. Não demorou muito para que o garoto a segurasse no colo e levantasse do sofá, ela arranhava as costas dele com muita força enquanto beijava o ombro dele. Levou-a até a cama, jogou-a na mesma fazendo com que ela deitasse, ficou por cima do corpo dela e pressionou seu corpo contra o dela. Se arrepiava ao ouvi-la sussurrar em seu ouvido que o queria. Puxou a calcinha dela tirando-a e se livrou também do resto de suas próprias roupas. Aproximou sua boca da dela novamente e começou a penetrá-la, com força, com vontade, com desejo.

Fazia os movimentos um pouco rápido e com bastante força deixando-a cada vez mais excitada, com muito tesão. A garota envolvia as pernas no corpo dele e mantinha as mãos alisando e arranhando as costas dele enquanto gemia um tanto quanto alto em seu ouvido. Os dois se arrepiavam cada vez mais, estavam entrando em êxtase total.  A garota voltou a boca para a dele que ficou roçando os lábios nos dela e depois, finalmente, a beijou. Beijava-a devagar e com muita vontade e era assim que mantinha seus movimentos: devagarzinho.

Depois de um tempo desse jeito, ele se afastou, a fez virar de lado de costas para si e novamente a penetrou. Dessa vez fez ao contrário, começou devagarzinho, dava beijinhos pelas costas dela, pelo ombro, pelo pescoço enquanto acariciava a barriga dela e apertava um pouquinho os seios dela. A garota mantinha os olhos fechados, assim como ele, e suspirava, gemia, gritava o nome dele. Quanto mais ela gemia, ele ia com mais força e com mais vontade, não demorou até fazê-la gozar. Sentiu o corpo dela todo estremecer e sorriu ao ouvir o suspiro um tanto quanto alto dela.

Ficou um apenas abraçado com ela daquele jeitinho por um tempinho e depois se afastou novamente, ela deitou e olhou para o teto por um momento, sentia-o deslizar as mãos pelo seu corpo enquanto descia dando beijos. Parou com a cabeça no meio das pernas dela e então começou a passar a língua ali e chupou-a todinha. Novamente a fez gemer alto e a fez sentir mais tesão ainda. Ela puxava o cabelo dele com um pouco de força e apertava os olhos. O fez voltar para cima de si e o beijou com urgência.

Depois do beijo, ele desceu até o ouvido dela e sussurrou: Você me faz perder a cabeça, garota; e chupou a ponta da orelha dela. Puxou-a fazendo-a levantar um pouco, pediu com a respiração meio ofegante que ela ficasse de quatro. Ela ficou, apoiada na cama, toda empinada para ele que sorriu. Juntou novamente seus corpos e então fez tudo com muita intensidade, muita força, muita vontade. Não demorou muito e ele a apertou com força contra seu corpo e em um gemido um pouco alto, começou a gozar. Os dois continuaram colados ainda enquanto ele alisava as costas dela arranhando, depois deitou do lado dela e a puxou para deitar com a cabeça em seu peito.

A menina ficou fazendo carinho no peito dele, arranhando de levinho, enquanto ele mexia no cabelo dela. Os dois ficaram deitados juntos, abraçados. De olhos fechados, quase adormecendo, ela sussurrou:

- Quando você for, por favor, fecha a porta.

                             — I just wanna use your love, I don’t wanna lose your love tonight.

 
 

Todas as noites eu peço para não te tirarem nunca de mim.

 
 
 
 
Ultimamente eu tenho pensado, sobre o que nós tivemos, eu sei que foi difícil, isso é tudo que sabemos. Você já bebeu para fazer a dor ir embora? Eu queria que eu pudesse te dar tudo que você merece, pois nada nunca poderá substituir você. Nada pode me fazer sentir como você faz. Você sabe que não há ninguém que eu possa me relacionar, e sabe que nós não vamos encontrar um amor tão verdadeiro. Não há nada como nós, não há nada como eu e você juntos, através da tempestade. Eu te dei tudo, tudo que eu tinha pra dar. Garota, por que você me afastou? Perdido na confusão, como uma ilusão você sabe que eu costumava fazer o seu dia, mas isso é passado agora, nós não duramos. Acho que isso era pra ser, me diga, isso vale a pena? Nós éramos tão perfeitos, mas baby eu só quero que você enxergue. Não há nada como nós, não há nada como eu e você, juntos.
Nothing like us.   (via falsoprince)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O que eu não entendo, criatura, é como você continua estacionando seu coração em local proibido. Você já não foi multada que chega? Onde mais precisa doer pra você levar jeito?
Gabito Nunes.  (via versificar)

(Source: desafogue)